Home ] Karate-do como Defensa ] Karate-do como Auto-defesa? ] Karate-do: hit and avoid being hit? ] News About my Death... ] Notícias acerca da minha morte... ] Noticias acerca de mi muerte ] Institutionalisation and Competition in Shotokai ] Institucionalização e Competição em Shotokai ] Institucionalización  y Competición  en Shotokai ] Ensino de Karate-do Shotokai a Crianças ] Enseñando karate-do shotokai a los niños ] Teaching Karate-do Shotokai to Children ] L'insegnamento del Karate-do Shotokai ai bambini ] Vitória sem Luta ] Victory Without Fighting ] Vencer Sin Enfrentamiento ] Shotokai Karate Budo's Enciclopedias Online ] Shotokai Karate Budo’s Online Enciclopedias ] Le Enciclopedie Online dello Shotokai Karate Budo ] Diversidade Técnica e Valores Comuns ] Technical diversity and common values ] Differenze tecniche e valori comuni ] [ A prática Shotokai é Multiforme ] La practique Shotokai est Multiforme ] Discurso do Presidente da ASP ] Karatecas de todo o Mundo ] SIM-Objectives,Logo and Program ] SIM - Inscr. ] SIM-Questions&Answers ] SIM-particip ] SIM-Conclus ]

Centro de Artes Orientais www.cao.pt


1st Shotokaï Meeting

Almada, Portugal - October 2003

A prática Shotokai é multiforme. Contudo o que é que constitui a especificidade Shotokai? Qual é o nosso denominador comum?

Suponho que estaremos todos de acordo em fazer nossa a investigação levada a cabo pelo Mestre Shigeru Egami. Suponho igualmente que todos vós fostes interpelados por um magnífico paragrafo do seu livro, « The Way of Karate, Beyond Technique» (p. 19), que os nossos amigos aikidokas também não desaprovam:

«Se em vez de vos opordes ao movimento do atacante, vos moverdes com ele de forma natural, o que é que irá acontecer? Ireis descobrir que vós e ele se tornarão num só e que quando ele se mover para atacar, o vosso corpo move-se naturalmente para esquivar o golpe. E quando vos tornardes capazes disso, descobrireis um mundo completamente diferente - um que nem suspeitavam que existisse. Quando fordes um com o vosso adversário e que vos moverdes naturalmente com ele sem oposição, então não há primeiro ataque! A significação de Karate ni sente nashi («Não há primeiro ataque em karaté») não pode ser compreendida sem que não tenhais atingido esse estado.»

Mestre Egami não pôde levar até ao fim da sua investida. Ele estava muito doente (no Japão) e é extremamente difícil fazer evoluir uma Via tradicional. Para além do mais, infelizmente - não é excessivo falar de um empobrecimento (no Japão) dos valores do Budo.

E nós, os depositários dessa mensagem, teremos coragem de perseguir a sua obra? Teremos a coragem de voltar a colocar em questão os nossos hábitos e os nossos preconceitos para oferecer às gerações futuras uma alternativa válida aos desportos de competição? Visto que, se o ideal foi claramente delineado pelo Mestre Egami, estou pessoalmente convencido que a pedagogia, o ensino habitual do karaté ainda não está de todo adaptado a este objectivo!

Durante cerca de 25 anos, pratiquei com apreensão: os meus adversários eram - vós o compreendeis - maiores, mais fortes, mais flexíveis... mais jovens. Bem difícil, nestas condições de descobrir irimi, e de efectuar correctamente gedan barai! E depois retomei o Aikido e, entre outras coisas, uma reflexão de Sensei Enzo Cellini colocou-me sobre uma outra via: irimi, antecipar, engloba, bien sûr, Uké mas também o atacante! Em vez de procurar destabilizar o meu adversário, metendo-me, pois, em competição com ele, é porque sinto que a comunicação está ganha, que o meu adversário está presente e capaz de me esquivar, que vou, verdadeiramente, autorizar-me a bater sem reserva.

Falta-nos, absolutamente, em muitos domínios, inverter a nossa maneira de pensar, e isso exige um esforço considerável. Exemplos concretos:

- Muito dos budokas pensam que é necessário trabalhar com dureza e passar para a competição antes de esperar para descobrir a harmonia e um espírito de abertura. É um grave erro pedagógico: falta-nos, antes de mais, desenvolver a descontracção e a confiança em si e em direcção aos seus adversários, para, somente depois, nos aproximarmos progressivamente de um assalto realista.

- Aprendemos a antecipar entrando no ataque, esquivando o lado do ataque, o que é totalmente irrealista se o adversário é mais potente que nós: imaginemos uma criança efectuando gedan barai para confrontar o mae geri de um adulto! Devemos, pelo contrário, antecipar todo o ataque entrando nas costas de Tori tal como ele se apresenta no instante onde ergue a sua acção ofensiva. Sei que se trata de uma verdadeira perturbação na prática, mas, desde há anos, este modo de fazer permitiu-nos evoluir rapidamente para o ju midare, isto é, uma sucessão de esquivos sobre ataques totalmente livres.

- Aprendemos a conservar o pé atrás completamente esticado para melhorar a estabilidade. E se tentarmos, pelo contrário, como em Kendo pela partida dum sprint, elevarmo-nos sobre a ponta do pé atrás, conservando a bacia de frente, para desenvolver dinamismo e disponibilidade?

- Outro exemplo: repetimos incansavelmente, desde há anos, as katas tradicionais com atacantes imaginários. Não deveríamos colocar o acento sobre as katas com um ou mais adversários já que o objectivo não é realizar um ballet, mas comunicar com atacantes bem reais?

Vários colegas, lamento-o, ficaram magoados pelas minhas críticas vis-à-vis dos katas tradicionais. Portanto:

-como se pode justificar técnicas tão pouco compatíveis com o nosso ideal como partir um membro (começo de Heian nidan) ou arrancar os testículos (fim de Heian godan) já que pedimos aos nossos adversários que nos comuniquem o máximo de energia que aprendemos a canalizar? 

- como justificar os eixos, os encadeamentos, os bunkai que nunca reproduziremos fora do midare?

O principal receio será que a nossa investida aniquile a dimensão marcial, a sinceridade dos golpes que caracterizam a nossa Escola. Desculpem-me, mas aqueles que pensam assim enganam-se. É exactamente o contrário! É impossível bater totalmente, sem a menor inibição, se ignoramos que o nosso adversário arrisca a confrontar-nos com um gedan barai clássico e um gyaku zuki! Se, pelo contrário, o meu adversário sabe cair e a minha exibição vem «colher» o seu ataque para a desviar agilmente, então não faremos mais que um e descobriremos por vezes este universo insuspeitável evocado pelo Mestre Egami.

Depois do seu encontro com Egami sensei, Mestre Murakami transformou radicalmente a sua prática e esta não deixou de evoluir. Aí reside o verdadeiro domínio, nesta capacidade de voltar a colocar em questão.

Desejo, a todos, descobrir esta formidável qualidade.

Yves Thélen, Le Shudokan, 12, rue des hêtres 4870 B-Fraipont                thelen.shudo@dnbkbelgium.org

The Way of karate, beyond technique

« If instead of opposing the movements of your opponent, you moved with him in a natural way, what would happen ? You will find that you and he become as one, and that when he moves to strike, your body will move naturally to avert the blow. And when you become capable of this, you will discover a completely different world - one that you had not know existed. When you are as one with your opponent and move naturally with him without opposition, then there is no such thing as a first strike. The meaning of karate ni sente nashi (« There is no first strike in karate ») cannot be understood until you achieve this state. »

 

Up ] Karate-do como Defensa ] Karate-do como Auto-defesa? ] Karate-do: hit and avoid being hit? ] News About my Death... ] Notícias acerca da minha morte... ] Noticias acerca de mi muerte ] Institutionalisation and Competition in Shotokai ] Institucionalização e Competição em Shotokai ] Institucionalización  y Competición  en Shotokai ] Ensino de Karate-do Shotokai a Crianças ] Enseñando karate-do shotokai a los niños ] Teaching Karate-do Shotokai to Children ] L'insegnamento del Karate-do Shotokai ai bambini ] Vitória sem Luta ] Victory Without Fighting ] Vencer Sin Enfrentamiento ] Shotokai Karate Budo's Enciclopedias Online ] Shotokai Karate Budo’s Online Enciclopedias ] Le Enciclopedie Online dello Shotokai Karate Budo ] Diversidade Técnica e Valores Comuns ] Technical diversity and common values ] Differenze tecniche e valori comuni ] A prática Shotokai é Multiforme ] La practique Shotokai est Multiforme ] Discurso do Presidente da ASP ] Karatecas de todo o Mundo ] SIM-Objectives,Logo and Program ] SIM - Inscr. ] SIM-Questions&Answers ] SIM-particip ] SIM-Conclus ]


WebDesign: José Patrão (Geral); Nuno Barradas & Manuela de Castro (Mon website).  Logo: Jorge Costa. Permanent Team: Nuno Figueiras Santos, José Morgado, Raul Pereira, João Geada.

©Copyright: Centro de Artes Orientais, 1997 - 2011